Home
- Quem Somos
- Diretoria
- Colaboradores
Relatórios
- Veja +
Como Colaborar
- Em Breve
Nº de Visitantes

Economia Solidária



Economia Solidária é uma proposta de organizar de forma autogestionária um conjunto de atividades econômicas – de produção, distribuição, finanças, trocas, comércio, consumo, poupança e crédito –para suprir as necessidades de todos a partir da extração dos recursos naturais de maneira sustentável, de forma a valorizar a natureza e a vida comunitária, resgatando os talentos das pessoas e os laços de amizade e união. A proposta da Economia Solidária refere-se, não só à organização de pessoas para formar empreendimentos econômicos, mas também à organização dos empreendimentos para formarem uma rede de cooperação, construindo um modelo de sociedade baseado nos valores de união e respeito à vida.
A Economia Solidária é representada por um conjunto de iniciativas inspiradas por valores culturais que colocam o ser humano como sujeito e finalidade da atividade econômica, em vez da acumulação de capital. Ela tem por convergência: a valorização do trabalho humano, a promoção das necessidades básicas como eixo da atividade econômica e comercial, o reconhecimento do lugar privilegiado da mulher e do feminino, a busca de uma relação harmoniosa com a natureza e os valores da solidariedade e da cooperação.
Por meio da Economia Solidária promove-se mudança nas práticas sociais, buscando-se despertar a sociedade do ato inconsciente e irresponsável do consumismo desenfreado, individualismo, posicionamentos hierárquicos nas relações de produção e humanas como um todo, reivindicando relações com práticas de solidariedade, respeito às diferenças e vida na multiplicidade. Assim, compreende uma grande diversidade de práticas econômicas e sociais, organizadas sob formas de cooperativas populares, federações e centrais cooperativas, associações, movimentos, organizações comunitárias, compras coletivas, redes de consumidores, feiras ou clubes de troca com uso de moedas sociais, empresas autogestionárias e complexos cooperativos.
Para a Economia Solidária, a eficiência não pode limitar-se aos resultados materiais de uma dada atividade econômica, mas se define também como benefícios sociais e ambientais, em função da qualidade de vida e da felicidade de seus membros e, ao mesmo tempo, de todo o ecossistema. Portanto, além de uma alternativa econômica das populações mais pobres e alijadas do mercado de trabalho, a Economia Solidária deve ser vista como um poderoso instrumento de reversão do quadro de pobreza, desemprego, exclusão em todos os níveis e do trabalho precário, sustentada em modos coletivos de geração de trabalho e renda, integrados aos processos participativos e sustentáveis de desenvolvimento local.
Atualmente o movimento da Economia Solidária no Brasil é bem expressivo, sendo composto por: mais de 4.000 empreendimentos solidários; centenas de Organizações Não-Governamentais que atuam no fomento às iniciativas de produção, consumo e crédito; Incubadoras Tecnológicas de Cooperativas Populares (ITCPs), ligadas a universidades, que atuam na educação, estudo, pesquisa e fomento, organizadas numa rede nacional de ITCPs e na Fundação Unitrabalho. Estes empreendimentos e organizações estão organizados em fóruns e redes locais, Fóruns Municipais, Estaduais, o Fórum Brasileiro de Economia Solidária, a Rede Brasileira de Socioeconomia Solidária e o Fórum de Articulação do Comércio Ético Solidário do Brasil (FACES do Brasil). Além destes fóruns, destaca-se também o movimento das Trocas Solidárias, composto por inúmeros Clubes e Mercados de Trocas com moedas sociais próprias.
A Economia Solidária também está inserida em diversos programas de prefeituras e governos estaduais no Brasil. No âmbito nacional, está institucionalizado pela Secretaria Nacional de Economia Solidária (SENAES), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Estão sendo formadas também Frentes Parlamentares de Economia Solidária nos âmbitos estaduais e federal.
No mundo, este movimento é também muito expressivo, destacando-se a Rede Latino Americana de Economia Solidária, a Rede Ibero-Americana de Economia Solidária e a Rede Intercontinental de Promoção da Economia Social e Solidária.

 

 

 



Parceiros
Atalhos

Reserva da Biosfera do Cinturão

Verde da Cidade de São Paulo

Mercado Mata Atlântica
Programa Mata Ciliar
 
  Todos Direitos Reservados ao Instituto H&H Fauser Desenvolvido por: